ST. PETER'S INTERNATIONAL SCHOOL BLOG

Desde a creche até à faculdade.

Aprendizagem

Trabalhos de casa para os pais – Educadores também têm deveres a cumprir

deveres dos educadores

São mais felizes os alunos cujos pais se interessam e envolvem ativamente nas suas atividades escolares e extracurriculares. Sabia?

São mais bem-sucedidos na escola, revelam maior empenho, têm mais prazer em aprender e são mais felizes os alunos cujos pais se interessam e envolvem ativamente nas suas atividades escolares e extracurriculares. Seja nas noitadas de estudo, seja na plateia de um jogo, ou espetáculo, a apoiar. Assim, no processo de autorresponsabilização, de suma importância para crianças e jovens, os pais devem assumir a sua quota-parte, num dos papéis de maior relevância na vida académica dos filhos e educandos.

Envolver-se e participar

Estar a par de tudo, querer saber o que se passa na escola, dentro e fora da sala de aula, envolver-se e participar ativamente está longe de significar que cabe aos pais a tarefa de fazer os trabalhos de casa. Pelo contrário. A responsabilidade das tarefas escolares deve ser imputada exclusivamente ao aluno. Este, porém, não deve sentir-se sozinho e desacompanhado na sua vida escolar, tampouco noutras atividades em que se envolva. O mais significativo exemplo na vida de crianças e jovens vem dos seus adultos de referência e pena será se os pais não se incluírem nestes modelos. Se assim for, os pais não estarão a desempenhar bem o seu papel nem a cumprir com os seus deveres.
Valorizar os assuntos escolares e participar neles é um dos mais importantes apoios que os pais dão aos filhos e um dos que mais galvaniza o empenho destes em todas as atividades. Por isso, no St. Peter’s International School há a enorme preocupação em envolver a família e chamá-la à escola. Uma escola onde há lugar para todos.

TPC para os pais

1 – Envolva-se com a escola e os professores


Apresente-se, fale com professores e diretores, inteire-se sobre o programa e todas as atividades anuais, assista às reuniões, solicite esclarecimentos sempre que necessário. Participe na comissão de pais e nas atividades escolares. Conheça o plano curricular, as atividades extra e perceba o que é esperado de si e de que forma pode ajudar. Envolva-se. Não espere problemas para dar este passo, que deve ser o primeiro de todos.

2 – Mantenha o contacto com o que se passa na escola


Perceba os momentos de maior stress, se há questões cognitivas ou de sociabilização a serem abordadas. Perceba através do que lhe é dito em casa e da informação que recebe da escola. Mantenha permanentes canais de comunicação com o seu filho e com a escola.

3 – Acompanhe a evolução do seu filho


Entenda quais as dificuldades, as disciplinas favoritas, as matérias mais complexas e perceba se há necessidade de um reforço de estudo ou reais obstáculos que requerem outro tipo de apoio e de intervenção. Vá avaliando a progressão em casa, não aguarde por um teste negativo.

4 – Supervisione os trabalhos de casa
ajudar nos trabalhos de casa

Não faça os trabalhos de casa, mas participe e ajude no que for necessário. Comece por definir a tão falada e necessária zona de trabalho exclusiva aos deveres académicos e realização de projetos. Responsabiliza a criança ou jovem pela sua arrumação e organização. Tente perceber quais as horas mais produtivas do seu filho e defina um horário com horas de estudo e de brincadeira/lazer. Ajude a resolver os problemas mais complexos e a perceber em que matérias ou etapas há mais problemas de aprendizagem. Esteja disponível sempre que lhe solicitam ajuda.

5 – Ajude-o a preparar-se para os testes

Apoie e esteja presente. Seja a esclarecer dúvidas, seja procurando soluções, ou apenas a organizar um horário mais facilitador do estudo ou a preparar snacks para os momentos de pausa. Sim, incentive pausas e momentos de descompressão a meio de longas horas de estudo intensivo. Recomenda-se uma paragem de 15 minutos por cada hora de estudo. Perceber as dificuldades das matérias estudadas é útil para reconhecer o mérito de uma boa nota ou o porquê de um fracasso.

6 – Impeça distrações

Na hora de estudar, de fazer os trabalhos de casa ou de elaborar um projeto colabore impedindo distrações. Não ter música a tocar ou a televisão ligada devem ser exigências. O telefone e outros equipamentos eletrónicos também deverão estar desligados. Isto vale tanto para o estudante como para os pais.

7 – Resista à tentação de fazer mais do que a sua parte

Há pais que pecam por excesso, acabando por executar as partes mais complexas ou a totalidade dos trabalhos de casa. A responsabilidade de aprender é dos alunos e não dos pais. Eles aprendem com os erros. Orientar, ajudar a pensar e a resolver e tirar dúvidas não é sinónimo de fazer. De nada serve um problema correto se a criança não percebeu como se chega ao resultado. Deixe que sejam eles a colocar as dúvidas e a expressar as suas dificuldades. Deixe que sejam eles a pensar na solução. Pais ansiosos e perfecionistas só atrapalham.

8 – Dê o exemplo

Não exija deles coisas que não se dispõe a fazer. Se quer organização, seja organizado, se quer que eles se dediquem mais à leitura, leia… Mais do que as palavras, e bastante mais do que sermões, o exemplo é a melhor lição.

9 – Elogie e valorize

Elogie o sucesso, mas elogie igualmente o esforço, a dedicação e o empenho. Esteja lá para dizer que foi bom e para motivar para melhores resultados futuros. Uma equipa funciona assim. Uma equipa automotiva-se.

10 – Esclareça dúvidas, partilhe preocupações e peça ajuda

Nada como estar atento. Sejam questões académicas, sobre como melhor ajudar o seu filho a subir as notas, sejam assuntos de sociabilização ou recreio, suspeita de bullying ou qualquer outra, partilhe-as com os professores e educadores. Caso seja necessário intervir, quanto mais cedo se agir melhor.

Comments are Closed

Theme by Anders Norén